FILOSOFIA

Para falar de razão, antes é preciso falar de irracionalidade...

"O Sono da Razão produz monstros", de Francisco Goya.


Irracionalidade é a antítese (sentido oposto) da racionalidade;da razão; do raciocínio.

É usado para designar uma ação desprovida de raciocínio e, também, o conhecimento desprovido de qualquer racionalismo da lógica formal; onde se faz (no que diz respeito à filosofia) possível o conhecimento através da intuição irracional. 

Olha aí, intuição irracional... Quem se deixa levar pelos instintos (intuição)... porque intuição é instinto, são os animais... Nós, seres humanos, usamos a razão... Razão essa que nos põe freio. 

E o que nos põe freio é o superego...

Superego (al. Überich, "supereu") designa na teoria psicanalítica uma das três instâncias dinâmicas do aparelho psíquico. É a parte moral psique e representa os valores da sociedade.

O superego divide-se em dois subsistemas: o Ideal do ego, que dita o bem a ser procurado; e a consciência moral (al. Gewissen), que determina o mal a ser evitado.
O superego tem três objetivos:
  1. inibir (através de punição ou sentimento de culpa) qualquer impulso contrário às regras e ideais por ele ditados (consciência moral);
  2. forçar o ego a se comportar de maneira moral (mesmo que irracional)
  3. conduzir o indivíduo à perfeição - em gestos, pensamentos e palavras (ideal do ego).
O superego forma-se após o ego, durante o esforço da criança de introjetar os valores recebidos dos pais e da sociedade a fim de receber amor e afeição. Ele pode funcionar de uma maneira bastante primitiva, punindo o indivíduo não apenas por ações praticadas, mas também por pensamentos; outra característica sua é o pensamento dualista (tudo ou nada, certo ou errado, sem meio-termo)...

Portanto, meus caros, quem usa a razão é o homem inserido em sociedade... Na selva, as leis são outras...

Mas, ora, o que é razão?

Razão é a capacidade da mente humana que permite chegar a conclusões a partir de suposições ou premissas. É, entre outros, um dos meios pelo qual os seres racionais propõem razões ou explicações para causa e efeito. A razão é particularmente associada à natureza humana, ao que é único e definidor do ser humano. 

A razão permite identificar e operar conceitos em abstração, resolver problemas, encontrar coerência ou contradição entre eles e, assim, descartar ou formar novos conceitos, de uma forma ordenada e, geralmente, orientada para objetivos. Inclui raciocinar, apreender, compreender, ponderar e julgar, por vezes usada como sinônimo de inteligência.

Os homens primitivos usavam mais os instintos do que a razão... O homem moderno, pensa, logo existe! Se você quer viver em sociedade, trate de pensar...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CIÊNCIA - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS CEREBRAIS:

O mercado de trabalho não existe sem elas:

DARTH VADER: O VILÃO QUE JÁ FOI HERÓI