ADMINISTRAÇÃO

A palavra é compatibilizar: para sair da inércia e não ter o retrabalho (atraso)


Sabe quando você está construindo uma casa e o quadro de distribuição elétrico está posicionado justamente em um pilar importante para sustentação da edificação? Olha, você segue os projetos, mas acaba de descobrir, que para embutir os disjuntores terá que quebrar o pilar. Não pode! E não é só isso, a tubulação também terá que ficar aparente, pois passa exatamente dentro de uma viga de travamento. A solução que você encontrou é deslocar o quadro de disjuntores mais para a esquerda e deixar a tubulação aparente. Matou o projeto! Ficou horrível!

Gente, é por isso que é muito importante, na construção civil, compatibilizar os projetos. Na engenharia civil são vários os projetos: arquitetônico, estrutural, instalações (elétricas,  hidráulicas, anti-incêndio), e etc.. Mas o que exatamente significa compatibilizar projetos? 

A compatibilização nada mais é do que sobrepor da melhor maneira possível todos os projetos antes do início da construção, evitando o retrabalho. Assim deve-se fazer primeiro o arquitetônico e depois encaminha-lho para o projetista estrutural para que este possa fazer o seu projeto compatibilizando os dois. 


Mas, especificamente, a palavra compatibilização, do que se trata? Sinônimo de compatibilizar: conciliar e harmonizar! Assim fica mais fácil de entender, não é mesmo? Ou seja: conciliar um projeto com outro, de maneira a atender as necessidades de todos. 

Ah, gente! Não é só na construção civil que devemos compatibilizar projetos. Na vida da gente para sair da inércia precisamos e muito fazer isso. Quer um exemplo? Eu quero morar fora para estudar, mas minha mulher não quer sair do Brasil. Vamos abrir mão do casamento por este motivo? Oras, isto seria uma asneira! - "A gente viaja, você faz um curso de menor duração e voltamos para morar no Brasil". Veja bem, minha mulher é inteligente, por isso casei com ela.

Outro exemplo: Tenho um sócio, eu enquanto empresário, quero crescer e expandir os negócios, mas ele tem medo de arriscar. O que fazemos? Chamamos uma consultoria e chegamos num consenso. Consenso, olha aí: essa palavra é importante na hora de compatibilizar. Bom, o consultor acha que devemos crescer, mas mesmo assim meu sócio não quer arriscar. Houve um impasse, nenhum dos dois abre mão de suas posições. Então, assim sendo, desfazemos a sociedade. Não houve consenso!


Na política, atualmente, vivemos uma situação semelhante, existem três projetos, um representado por Dilma Rousseff (governo), outro pelo Aécio Neves, que disputará o segundo turno com a atual presidente e um terceiro representado por Marina Silva. Marina Silva que chegou em terceiro lugar na corrida presidencial quer a alternância de poder, fazendo valer a melhor democracia. Então, cabe a ela sentar com Aécio e compatibilizar os dois projetos. Foi o que eles fizeram. 






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CIÊNCIA - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS CEREBRAIS:

O mercado de trabalho não existe sem elas:

DARTH VADER: O VILÃO QUE JÁ FOI HERÓI